Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Da formação e desenvolvimento do Homem, a crise da virilidade de nossos tempos e outros assuntos

Da formação e desenvolvimento do Homem, a crise da virilidade de nossos tempos e outros assuntos. Por: Vinicius Martinez
Introdução.

Se podemos dizer que há um período na História Humana onde o Homem deixou de entender a si mesmo, esse período é o nosso. Vivemos num mundo desenvolvido tecnologicamente, mas precariamente os homens que participam desses tempos, não acompanharam o avanço das técnicas que por eles mesmos foram desenvolvidas.

É fato que vivemos numa sociedade apóstata que abandonou a Verdade e que se rendeu ao Liberalismo em todos os seus aspectos, o que por sua vez deu forças ao modernismo na religiosidade, assim como pavimentou a civilização ocidental para experimentar as tenebrosas revoluções sangrentas do século XX.

Por sua vez, nessa breve introdução, cito que o triunfo da tão má compreendida ideologia feminista, que embora muitos falem dela, não sabem que a mesma não é só uma simples demência do que chamamos de "Mundo Moderno".

Parafraseando a afirmação do Dou…

Do trabalho e a santificação

Do trabalho e a santificação.

Por: Vinicius Martinez 
O trabalho foi um castigo de Deus ao Homem, no entanto, esse castigo pode se tornar uma fonte de santificação, uma vez que o homem pode fazer o bem por meio dele, colocando-se à disposição para construir boas obras e servindo ao próximo, permitindo que a caridade flua. 

Ademais, com o Pecado Original, a natureza do homem tende a sentir falta da ação, por conseguinte, a ociosidade é um inimigo terrível do próprio, uma vez que o torna fraco e alvo fácil para as investidas da carne e do demônio. 

O homem que não gosta de trabalhar é um vagabundo e o que ama trabalhar é um louco. O homem católico não ama e nem odeia seu labor - que é apenas um meio, ele é grato por tê-lo, pois sabe que pode ser purgado por meio dele, ele pede a Deus que santifique seu labor, dando-lhe os meios necessários para prover à sua família amada e na edificação de sua pátria. 

Quando o homem ama o trabalho, esse mesmo “amor” pode ofuscar sua finalidade de ser, desviando-o de Deus e de sua família, é o que ocorre em nossos dias: homens que trabalham muito, mas que esquecem do Bom Deus. Além do mais, dizia São Bento: “Ora et Labora” – “Reze e Trabalhe”.

Glória a Deus! Ave Maria Santíssima! Salve Roma Eterna!

Comentários

Postagens mais visitadas