Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Do mistério da vida: sofrer primeiro para ser feliz depois

Do mistério da vida: sofrer primeiro para ser feliz depois.
Por: Vinicius Martinez
“Devemos suportar tudo, porque o sofrimento é pequeno e a recompensa é grande.” Santa Catarina de Sena 
Um magnífico sinal da Graça de Deus em nossas vidas é quando uma pessoa que amamos ou que temos grande consideração por ela. 
Nos machuca em decorrência de uma atitude, seja uma escolha ou uma declaração que tenha ferido os nossos sentimentos, assim como também tenha contrariado a nossa vontade.
O ser humano naturalmente ao ser contrariado em sua vontade tende a se entristecer, pois, de fato dói ter a nossa vontade, os nossos desejos sido negados —, dói ser machucado por uma pessoa que tanto amamos. 
Geralmente a reação natural após sermos machucados por uma pessoa, é de tristeza, revolta e raiva. No entanto, por alguma operação de ordem sobrenatural. 
Ainda que entremos numa forte tristeza, ainda que choremos muito por causa da dor que sentimos, ainda assim em nosso coração persiste o Amor, o desejo do Sumo…

Sobre o "tomismo implícito" nas obras de Tolkien e outros assuntos

Sobre o "tomismo implícito" nas obras de Tolkien e outros assuntos.

Por: Vinicius Martinez
Se houvesse alguma espécie de "tomismo implícito" nas obras de Tolkien, já não seria mais tomismo, porque o tomismo é claro, é realista, e a filosofia e teologia que está em tolkien é implícita na maioria das vezes o que já contraria o principio escolástico. Ademais, toda tentativa de colocar a imaginação acima da razão e consequentemente o fictício acima do real é loucura.

De fato, como já diz o Mestre Angélico, a saber, Santo Tomás de Aquino: "O brincar é necessário para a vida humana". Com efeito, é totalmente lícito que busquemos uma diversão sadia, lendo livros de qualidade para nos descontrairmos das tensões da vida.

Prosseguindo: a forma como o mundo foi criado pelo Deus "Eru" que é apresentado no Silmarillion não tem nada de católico, a Doutrina Católica nos ensina que Deus Infinitamente perfeito em sua infinita bondade que é Uno e Trino criou as coisas do nada (ex-nihilo), não precisou de intermediadores (não precisou de nenhum ser angélico para criar as coisas, diferentemente dos Ainur do Tolkien que embora não possuam poder por si mesmos, eles agem como "co-criadores" do Universo e de todas as coisas criadas).

Ademais, não precisou de estágios de emanações até porque emanações são um conceito esotérico e gnóstico, ademais, as criaturas não tem nada de sua substância divina, as coisas criadas são reflexo das qualidades divinas e não dos "intermediadores" que são imperfeitos, enfim são muitos os erros. Ademais, no Legendarium de Tolkien, há uma imensa quantidade de simbologias que são comparáveis as simbologias esotéricas.

Ora, se uma pessoa não sabe nada da Doutrina Católica e ao ler Tolkien, jamais saberia do suposto catolicismo nesse livro, além de que se for para utilizar a tese de que esses escritos são como que "O Antigo Testamento" já é um erro, porque significa que uma pessoa que lê Hobbit e Senhor dos Anéis teriam que ler todos os demais livros e fazer um amplo estudo para enxergar um catolicismo implícito, perdendo trocentas horas que poderiam ser usadas para estudar livros de Doutrina Católica, Espiritualidade dos Santos, etc, ademais, colocar os livros fantasiosos de Tolkien numa linha imaginaria temporal de "Antigo Testamento" seria também como colocá-los num patamar de auxiliares das escrituras o que é absurdo.

Ademais, há diferença entre obras que possuem gnosticismo ou que são gnósticas em ato, ora, há pessoas que são gnósticas e nem se dão conta, muitas vezes até nós falamos algumas besteiras no dia dia que são gnósticas, todavia não nos tornamos gnósticos por isso, o fato de haver gnose nos livros de tolkien pode ser de forma deliberada, com efeito, tornaria ele um gnóstico formal, todavia se está de forma que ele não percebeu, é uma gnose material e, portanto, não o torna um gnóstico em ato.

Por fim, se pegarmos todo o Legendarium do Tolkien que se juntados de ordem cronológica correta, ler com cautela, podemos até obter noções de certos valores católicos, todavia, são implícitos e é necessário de muito mas muito tempo de dedicação para enxergá-los. Além de que é necessário ser primeiramente católico para ver estes elementos, pois um pagão, um infiel, um mundano que lesse jamais se converteria lendo isso, eis que a maioria esmagadora dos "nerds-geeks" não são católicos e não se importam com Religião.

Além do mais, quanto ao argumento da Bíblia, de fato os gnósticos dos primeiros séculos deturparam as Sagradas Escrituras e foram necessários santos para combatê-los, em especial o Irineu de Lião, todavia, isso não torna as Escrituras "gnóstica", pois a essência escrita nos livros sagrados é intrinsecamente boa, pois vem de Deus, os hagiógrafos sagrados são infalíveis pela assistência do Espírito Santo, todavia a interpretação do leitor não o é.

Ora, dizer que precisamos de um "especialista" ou "especialistas" para interpretarmos corretamente as obras de Tolkien é forçar a barra, ainda mais quando se trata de um livro que traz consigo muitos elementos mitológicos que são diferentes dos elementos mais "míticos" encontrados na bíblia que servem como alegorias, todavia, as coisas mitológicas em Tolkien existem dentro daquele mundo fictício.

O problema está no fato de hereges darem sentido gnóstico para ela, por isso necessitamos do Santo Magistério para nos ensinar qual é a forma correta para interpretar o livro sagrado de forma correta, todavia, quanto a Tolkien não se trata de um livro sacro, mas de uma obra de fantasia, de entretenimento.

Eu mesmo gosto muito das obras de J.R.R. Tolkien, tenho-as em minha biblioteca e são muito divertidas e ricas e recomendo a leitura delas para descontrair, todavia, essa deliberada tentativa de tornar estes livros como auxiliares para a Fé é um tanto exagerada, assim como também classificar Tolkien como um gnóstico formal.

Por fim, se se há necessidade de se aprofundar no Legendarium de Tolkien, compreendendo com profundidade tudo aquilo que o mesmo quis transmitir, esse aprofundamento deve ser sempre com menor intensidade que se comparado ao aprofundamento que se deve ter pela Doutrina Católica.

Ora, uma pessoa que passa mais tempo estudando Tolkien que a Fé Católica é um tolo que não sabe colocar as coisas em seus devidos lugares, leia, divirta-se, de fato, Tolkien é um gênio, um grande artista de nossos tempos modernos, não vejo alguém perdendo ou aumentando a Fé por causa dessas obras, todavia, que fique claro: não coloque suas obras como uma prioridade maior em sua vida que a leitura das Sagradas Escrituras, de um Santo Catecismo e das obras dos santos doutores e da espiritualidade e biografia dos santos.

Glória a Deus! Ave Maria Santíssima! Salve Roma Eterna! Força e Honra! Sempre Fiel!

Comentários

Postagens mais visitadas