Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Do mistério da vida: sofrer primeiro para ser feliz depois

Do mistério da vida: sofrer primeiro para ser feliz depois.
Por: Vinicius Martinez
“Devemos suportar tudo, porque o sofrimento é pequeno e a recompensa é grande.” Santa Catarina de Sena 
Um magnífico sinal da Graça de Deus em nossas vidas é quando uma pessoa que amamos ou que temos grande consideração por ela. 
Nos machuca em decorrência de uma atitude, seja uma escolha ou uma declaração que tenha ferido os nossos sentimentos, assim como também tenha contrariado a nossa vontade.
O ser humano naturalmente ao ser contrariado em sua vontade tende a se entristecer, pois, de fato dói ter a nossa vontade, os nossos desejos sido negados —, dói ser machucado por uma pessoa que tanto amamos. 
Geralmente a reação natural após sermos machucados por uma pessoa, é de tristeza, revolta e raiva. No entanto, por alguma operação de ordem sobrenatural. 
Ainda que entremos numa forte tristeza, ainda que choremos muito por causa da dor que sentimos, ainda assim em nosso coração persiste o Amor, o desejo do Sumo…

Da Gratidão que devemos ter pela vida que temos

Da Gratidão que devemos ter pela vida que temos.

Por: Vinicius Martinez 

Devemos ser gratos por estarmos vivos e pela vida que possuímos, certamente caro leitor, tu assim como todos nós seres humanos: possui os teus problemas e necessidades, no entanto, se estais lendo este texto é bem provável que tenhas um teto, o que beber, comer, vestir e se divertir — e isso já te coloca numa situação de certo conforto.

Porém, devemos ressaltar que o Bom Deus nos concede o nosso ser e existência, com efeito, devemos dar glória a Deus por termos a capacidade de levantarmos todos os dias e respirar o doce ar da vida com um devoto sinal da cruz.

Quantas vezes não percebemos que o simples fato de estarmos vivos é um grande milagre? Quantas vezes deixamos de perceber que não há um dia sequer que o Bom Deus não tenha nos dado algo? E, quando me refiro a algo é a Graça que é o movimento Divino pela qual nós recebemos de Deus a capacidade de fazer algo que nós não poderíamos fazer por capacidade própria.

Ou seja, — a nossa Vontade recebe um fluxo sobrenatural que nos concede um impulso a desejar e fazer o Bem que nosso Intelecto reconhece, com efeito, nos movemos ao objeto desejado pelo Motor Divino. Ora, como já dizia a Doutora da Alma, a saber, Santa Teresa D´Ávila: "Tudo é graça". A Graça nos possibilita fazer o bem, e o bem é fazer a Vontade de Deus.

Ademais, Deus é a fonte de todas as Graças por excelência, ele envia a Graça ao Homem em estado de potência, ao Homem, cabe converter mediante Deus e sua própria força de vontade, de transformar o que recebeu em ato.

No entanto, o Homem assim como um motor possui suas falhas naturais que no caso do motor seriam suas limitações eletromecânicas que acabam por perder eficiência ao longo dos anos, seja por desgaste mecânico ou pelo aquecimento que faz gerar calor e que por sua vez perda de eficiência.

Assim procede com o Homem que em suas operações não converte toda a Graça que recebe em um bem de maneira efetiva, mas acaba por perder parte dessa Graça, por não ter sido receptivo suficiente ou por ter sido falho na efetivação por causa de sua disposição e vontade fraca.

Porém em outros termos, há a graça que é o simples fato de Deus ter nos concedido algum bem, porque é fato que tudo que possuímos é por causa de Deus, consequentemente é graça do mesmo ainda que indiretamente e nessa assertiva chegamos a afirmação da Doutora da Alma.

Ora, é factual que o Bom Deus sempre concede a Graça mais que necessária para que façamos o bem — e infelizmente muitas vezes desperdiçamos tão grande prestígio. Acontece que agimos como tolos que ganham na loteria e em seguida tocam fogo em cada uma das cédulas ganhas —, uma pena.

Quem dirá também o fato de que nós esquecemos da maior riqueza que temos em vida que é o Santíssimo Sacramento, — Ó tão sublime sacramento que não damos devido valor! O próprio Deus se oculta sob as aparências do pão e do vinho — e está verdadeiramente presente em corpo, alma, sangue e divindade conforme a Santa Igreja nos ensina.

Tão sublime sacramento que é fonte de todas as graças em nossa vida, — nele recebemos o próprio Deus que se fez Homem de uma forma tão magistralmente misteriosa. É factual que o Bom Deus deseja que visitemos o Santíssimo com maior frequência e comunguemos, tamanha é a riqueza que temos e não percebemos, — quanta ingratidão para com Deus!

Temos a Fé, a Santa Igreja, os sacramentos e principalmente a Deus e tudo isso ainda que fôssemos as pessoas mais pobres — materialmente dizendo, nos tornaria os mais ricos que há neste mundo, porém, como somos tolos não percebemos o valoroso tesouro que temos — e consequentemente não damos devida importância.

Conforme está escrito na Sagrada Escritura: "Entrando Jesus em uma aldeia, saíram-lhe ao encontro dez leprosos, que pararam ao longe e levantaram a voz dizendo: Jesus, Mestre, compadece-te de nós. E Jesus, logo que os viu, disse: Ide, mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, enquanto iam, ficaram limpos. Mas um deles, quando se viu limpo, voltou atrás, engrandecendo a Deus em alta voz; e prostrou-se por terra aos pés de Jesus, dando-lhe graças; e este era um Samaritano. E Jesus disse: Porventura não foram dez os curados? Onde estão os outros nove? Não se achou quem voltasse e viesse dar glória a Deus, senão só este estrangeiro”.

Que trágico é saber que muitas das vezes agimos como os nove leprosos que recebendo tão grande graça de serem curados, — simplesmente encaramos aquilo como se fosse nada. O Bom Deus nos dá de tudo e não percebemos. Quanto deve ser doloroso ao Sacratíssimo Coração de Jesus ver que nós não somos gratos com o que ele nos dá.

Se nós criaturas miseráveis e finitas sentimos uma terrível dor ao depararmos com a ingratidão de uma pessoa que amamos e gostamos ao termos feito uma boa ação que desejaríamos ser retribuídos com a alegria e felicitações da mesma —, quem dirá Deus infinitamente perfeito e amoroso quando vê a ingratidão de nós que recebemos tudo e não obstante com isso, ficamos sempre querendo mais e mais — e para completar, o mais é sempre vindo com desejos egoístas e supérfluos!

Tão triste é saber que muitos não contentes com o que possuem, criam em seus corações os mais malignos desejos, — a maldita inveja que tanto corrompe os homens que se deixam ser dominados por ela, assim como outrora Lúcifer fora brilhoso, sua soberba e inveja foi o motivo de sua ruína: desejava mais e mais, no entanto, eram desejos supérfluos e egoístas. Infelizmente, temos uma grande dificuldade em aplicar devidamente a Graça do Bom Deus que dá em quantidade suficiente para rejeitá-la (Inveja).

Diz o Mestre Angélico, a saber, Santo Tomás de Aquino: "A inveja é uma tristeza pela glória do outro". Certamente um remédio eficaz para a Inveja é contentar-se com o que tem e a forma de realizar isso é enxergar a grandeza do tesouro que possuímos que é de valor infinito.

Diz o Doutor da Graça, a saber, Santo Agostinho: "Não andes averiguando quanto tens, mas o que tu és. A verdadeira felicidade não consiste em ter muito, mas em contentar-se com pouco". Devemos rezar para recebermos a graça do Bom Deus!

Ó Deus, impetrai em nosso corações o desejo de desejar apenas que o nosso miserável amor para com vós seja maior e melhor, de fato, quando o Vosso Filho disse que devíamos pedir para receber de vós, ele se referia em primeiro ao fato de que deveríamos pedir o que é essencial! Porém... quantas são as vezes que pedimos: "Senhor, Senhor! Dai-me uma Fé maior!" ou "Graças sejam dadas a ti meu Bom Deus, por terdes me dado tão sublime Sacramento"?

Que em 2019 tenhamos em mente que devemos ser mais gratos para com Deus e perceber que tudo que temos é motivo de dar infinitas glórias ao Senhor. Pare e pense e verás que tens tudo! Se tens a Fé, a Eucaristia, a Confissão e as demais riquezas de nossa Religião, — certamente és a pessoa mais rica que há! O Bom Deus nos concede coisas para que por meio delas possamos fazer e desejar o Bem — e consequentemente essas riquezas nos fazem aspirar ao Sumo Bem que chamamos Deus.

Ademais, já dizia o Doutor da Graça: “Não podemos pensar, dizer nem escrever coisa melhor e mais agradável a Deus do que estas palavras: Deo gratias! — Graças a Deus!”. Além do mais, lembra o Doutor da Moral, a saber, Santo Afonso Maria de Ligório: "O pecado de ingratidão é um monstro tão hediondo, que desagrada também aos homens, os quais, tendo feito algum beneficio que não é retribuído ao menos pela gratidão, sentem uma mágoa mais insuportável do que qualquer outro sofrimento corporal. — Quanto mais, porém, este monstro desagrada a Deus".

Além do mais, como é possível ficar sem comer e beber sem que o nosso corpo morra? Ora, igualmente sucede com o espírito que sem a Oração que é a água da alma e a Eucaristia que é a comida, sem ambas é impossível viver para Deus.

Com efeito, que neste ano possamos aplicar com maior perfeição as graças do Bom Deus — e com isso possamos crescer em Fé e Santidade, para que possamos então com a ajuda da Santíssima Mãe de Deus, sermos um dia, dignos das promessas de Cristo.

Glória a Deus! Ave Maria Santíssima! Salve Roma Eterna! Força e Honra! Sempre Fiel! Deus lhe abençoe! Feliz Ano Novo!

Comentários

Postagens mais visitadas