Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Do mistério da vida: sofrer primeiro para ser feliz depois

Do mistério da vida: sofrer primeiro para ser feliz depois.
Por: Vinicius Martinez
“Devemos suportar tudo, porque o sofrimento é pequeno e a recompensa é grande.” Santa Catarina de Sena 
Um magnífico sinal da Graça de Deus em nossas vidas é quando uma pessoa que amamos ou que temos grande consideração por ela. 
Nos machuca em decorrência de uma atitude, seja uma escolha ou uma declaração que tenha ferido os nossos sentimentos, assim como também tenha contrariado a nossa vontade.
O ser humano naturalmente ao ser contrariado em sua vontade tende a se entristecer, pois, de fato dói ter a nossa vontade, os nossos desejos sido negados —, dói ser machucado por uma pessoa que tanto amamos. 
Geralmente a reação natural após sermos machucados por uma pessoa, é de tristeza, revolta e raiva. No entanto, por alguma operação de ordem sobrenatural. 
Ainda que entremos numa forte tristeza, ainda que choremos muito por causa da dor que sentimos, ainda assim em nosso coração persiste o Amor, o desejo do Sumo…

Sobre a desastrosa modificação do Catecismo realizada pelo Papa Francisco

Sobre a desastrosa modificação do Catecismo realizada pelo Papa Francisco.

 Por: Vinicius Martinez

Recentemente o Papa Francisco alterou um artigo do Catecismo da Igreja Católica (CIC) sobre a pena de morte e isso causou grande debates, sucede que sua alteração foi desnecessária, desastrosa e errônea e há muitos que insistem numa cegueira absurda e para justificarem suas falsas obediências fazem acrobacias impressionantes para justificar o erro do Papa nessa alteração que demonstrarei que não foi nada boa.

A mudança aplicada: “Durante muito tempo, o recurso à pena de morte, por parte da legítima autoridade, era considerada, depois de um processo regular, como uma resposta adequada à gravidade de alguns delitos e um meio aceitável, ainda que extremo, para a tutela do bem comum”. No entanto, hoje, torna-se cada vez mais viva a consciência de que a dignidade da pessoa não fica privada, apesar de cometer crimes gravíssimos. Além do mais, difunde-se uma nova compreensão do sentido das sanções penais por parte do Estado. Enfim, foram desenvolvidos sistemas de detenção mais eficazes, que garantem a indispensável defesa dos cidadãos, sem tirar, ao mesmo tempo e definitivamente, a possibilidade do réu de se redimir. Por isso, a Igreja ensina, no Novo Catecismo, à luz do Evangelho, que “a pena de morte é inadmissível, porque atenta contra a inviolabilidade e dignidade da pessoa, e se compromete, com determinação, em prol da sua abolição no mundo inteiro”.

Com efeito, poder-se-ia dizer que o ensinamento novo aprovado pelo Papa está em conformidade com o Santo Magistério, Tradição e Escritura.

Mas contrariamente, nos ensina o Santo Catecismo Romano: “Outra espécie de morte lícita é a que compete às autoridades. Foi-lhes dado o poder de condenar à morte, pelo que punem os criminosos e defendem os inocentes, de acordo com a sentença legalmente lavrada. Quando exercem seu cargo com espírito de justiça, não se tornam culpados de homicídio; pelo contrário, são fiéis executores da lei divina, que proíbe matar”.

Ademais. — Nos ensina o Catecismo de São Pio X: “É lícito tirar a vida do próximo: durante o combate em guerra justa; quando se executa por ordem da autoridade suprema a condenação à morte em castigo de algum crime; e finalmente quando se trata de necessária e legítima defesa da vida, no momento de uma injusta agressão”. 

Ademais. — Nos ensina o Mestre Angélico, a saber, Santo Tomás de Aquino: "Existe o pecado pelo qual merecem não só serem separados da Igreja pela excomunhão, mas também serem retirados do mundo pela morte. Com efeito, é questão muito mais séria corromper a fé, pela qual vem a vida da alma, do que fabricar dinheiro falso, com o qual é sustentada a vida corporal. Por conseguinte, se os fabricantes de dinheiro falso e outros malfeitores são justamente castigados com a morte pelos príncipes seculares, com muito maior justiça podem os hereges ser castigados com a morte imediatamente após o veredicto, e não somente excomungados". 

Ademais. — Diz o Mestre Angélico: "Como já dissemos, é lícito matar os brutos, enquanto naturalmente ordenados ao nosso uso, assim como o imperfeito é ordenado para o perfeito. Pois, toda parte se ordena para o todo como o imperfeito para o perfeito. Por onde, toda parte é naturalmente para o todo. E por isso, vemos que é louvável e salutar a amputação de um membro gangrenado, causa da corrupção dos outros membros. Ora, cada indivíduo está para toda a comunidade como a parte, para o todo. Portanto, é louvável e salutar, para a conservação do bem comum, por à morte aquele que se tornar perigoso para a comunidade e causa de perdição para ela; pois, como diz o Apóstolo, um pouco de fermento corrompe toda a massa".

Ademais. — Diz o Doutor da Graça, a saber, Santo Agostinho: "Algumas vezes, seja como lei geral, seja por ordem temporária e particular, Deus ordena o homicídio. Ora, não é moralmente homicida quem deve à autoridade o encargo de matar, pois não passa de instrumento, como a espada com que fere. Desse modo, não infringiu o preceito quem, por ordem de Deus, fez guerra ou, no exercício do poder público e segundo as leis, quer dizer, segundo a vontade da razão mais justa, puniu de morte criminosos; assim também não acusam Abraão de crueldade, mas gabam-lhe a piedade quando, assassino por obediência, quer matar o filho".

Ademais. — Diz o Apóstolo, a saber, São Paulo: "Estou diante do Tribunal de César, é lá que devo ser julgado; nenhum mal fiz aos Judeus, como tu sabes muito bem. E, se lhes fiz algum mal ou coisa digna de morte, não recuso morrer; mas, se nada há das coisas de que estes me acusam, ninguém me pode entregar a eles; apelo para César".

Ademais. — Diz o Apóstolo: "Os quais, tendo conhecido a justiça de Deus, não compreenderam que os que fazem tais coisas são dignos de morte; e não somente quem as faz, mas também quem aprova aqueles que as fazem".

Ademais. — Conforme está escrito: "Quem procura prender será preso. Quem matar pela espada, pela espada deve ser morto. Esta é a ocasião para a constância e a confiança dos santos". "O que ferir um homem querendo matá-lo, seja punido de morte". "O que ferir o seu Pai ou sua Mãe seja punido de morte". "Aquele que tiver roubado um homem, e o tiver vendido, convencido do crime, morra de morte".

Quanto à dignidade pode-se dizer que, ainda que uma pessoa cometa um pecado grave ela mantém em si a imagem de Deus que permanece nela mesmo que ela cometa pecados terríveis e que são perdoados e limpos pela confissão. No entanto, ademais, o criminoso não mantém a mesma dignidade, pois, o pecado é uma mancha que remove justamente a beleza da alma humana, consequentemente ofusca o brilho da alma e quanto maior o brilho da alma, maior é sua dignidade e mérito diante de Deus. A dignidade de um criminoso não é a mesma que a de um homem justo e afirmar isso é um atentado contra a inteligência.

Ademais. — Diz o Mestre Angélico: "Pelo pecado perde o homem uma dupla dignidade — uma relativa a Deus; a outra, relativa à Igreja. Ora, relativamente a Deus, perde duas dignidades. — Uma principal, pela qual era contado entre os filhos de Deus, em virtude da graça. E esta dignidade a recupera pela penitência". 

Ademais. — Diz o Mestre Angélico: "Ao pecar, o homem afasta-se da ordem da reta razão e, por isso, decai de sua dignidade humana pela qual o homem é naturalmente livre e existe por si mesmo; de certo modo ele cai na condição do animal bruto".

Quanto à Misericórdia e Justiça pode-se dizer que Deus pode perdoar, mas a natureza e a justiça dos homens pode não perdoar. Ora, dizia Vitor Hugo: "Quem poupa o lobo, mata as ovelhas". Do mesmo modo que um vírus deve ser extirpado da sociedade pelo perigo que ele traz para a vida humana, do mesmo modo é um criminoso brutal que também representa um perigo real para a sociedade e na impossibilidade de conter um criminoso desse nível, de fato é um direito natural, humano e divino que o mesmo seja posto em pena capital caso seja realmente necessário para o Bem Comum.

Ademais. — Deus deu aos homens que fazem parte do governo da Pólis a autoridade e direito de aplicar e preservar a ordem e, com efeito, cabe aos mesmos trabalharem para que os cidadãos atinjam o Bem Comum e também contribuindo para o Sumo Bem, com efeito, Deus concede autorização para que as autoridades apliquem as medidas necessárias para justamente evitar que anomalias possam ferir a Ordem e, portanto, o Bem Comum, sucede que o uso da força por vezes é necessário para a preservação, do mesmo modo que as leis rígidas ao serem colocadas forçam o cumprimento de um ato que por sua vez ainda que feito a contragosto, fará com que a pessoa acostume-se se a evitar o mal e por efeito fazer o bem pelo temor das consequências negativas do descumprimento do ato, com efeito, sucede que ao passar do tempo ele pode querer fazer o bem por vontade própria e com prazer, caracterizando-se um ato virtuoso. E assim, a lei, ainda que punindo pode levar os homens a se tornarem bons. É por isso que o Mestre Angélico diz: "Com efeito, a quem legisla, cabe punir ou premiar, pois os legisladores induzem à observância da lei pelos prêmios ou pelas penas".

Ademais. — A pena de morte é também caridosa quando aplicada no contexto de necessidade e justiça, ou seja, quando aplicada a um criminoso irrecuperável (há homens que simplesmente não deixam de desejar o crime). Com efeito, ela impedirá que ele cometa mais crimes, ou seja, impede que cometa mais pecados. Além disso, a pena capital, é uma excelente oportunidade para que o criminoso se arrependa de seus crimes e ofereça sua vida como pagamento de seus pecados, pois, o criminoso, tem uma rara oportunidade de salvar-se, bastando que contritamente arrependa-se e confesse seus pecados a um sacerdote antes de sua execução.

Ademais. — Se o recurso da Pena de Morte fosse ilegítimo e inadmissível, procede que a Santa Inquisição teria sido totalmente imoral e ilícita, consequentemente todos aqueles que a apoiaram e inclusive muitos santos também teriam cometido um pecado horrível, ademais, devo lembrar que não era a Igreja que executava as penas capitais, pelo contrário, ela trabalhava para que essa pena não fosse aplicada porque a Inquisição foi um tribunal de misericórdia que dava a chance do condenado ser readmitido, mas quando os inquisidores não conseguiam readmitir os condenados não restava outro caminho senão o da pena de morte, com efeito, era então encaminhado ao braço secular que aplicava a pena, mas, o fato é que a Igreja não era contra a pena capital, ela defende a vida, mas defende a justiça e por vezes a justiça é feita dessa forma. Além disso, se não fosse pela legitimidade da pena de morte, a Europa Medieval teria sido dizimada por Heresias tais como o Catarismo que só pode ser contido por via dessa pena.

Solução: é vísivel que o ensinamento do Papa Francisco é errôneo e não está de acordo com o ensinamento da Igreja por via de seu Magistério ou tampouco pela Tradição e Escritura. Este escândalo deve ser entendido como efeito direto da mentalidade humanista e iluminista que triunfou no Concílio Vaticano II a qual o Papa partilha com a maioria esmagadora dos católicos de nossos tempos que defendem uma visão pacifista e distorcida de misericórdia, esquecendo-se da Justiça Divina e Humana. Sucede que a Pena de Morte é uma pena que está prevista na lei divina, natural e humana, com efeito, é lícita e necessária em determinados casos e a dignidade de um criminoso não é igual a de um cidadão justo.

Além disso, uma coisa deve ficar clara: Francisco está sendo mais ousado que qualquer outro Papa Conciliar, na aplicação de uma Revolução na Igreja pois, muitos de seus atos são surpreendentes até mesmo para o Concílio Vaticano II. Além disso, ainda que Francisco deixa muito a desejar, ele continua a sendo o nosso Papa (ainda que não aja como um) devemos rezar por ele sinceramente. Do mais, as Portas do Inferno jamais prevalecerão!

Que Deus tenha piedade de todos nós que desejamos seguir a Fé Católica Apostólica Romana e que a Santíssima Mãe de Deus nos cubra com seu manto, protegendo-nos de todos os erros, pecados e heresias.

Glória a Deus! Ave Maria Santíssima! Salve Roma Eterna! Força e Honra! Sempre Fiel!

Comentários

Postagens mais visitadas