Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Do mistério da vida: sofrer primeiro para ser feliz depois

Do mistério da vida: sofrer primeiro para ser feliz depois.
Por: Vinicius Martinez
“Devemos suportar tudo, porque o sofrimento é pequeno e a recompensa é grande.” Santa Catarina de Sena 
Um magnífico sinal da Graça de Deus em nossas vidas é quando uma pessoa que amamos ou que temos grande consideração por ela. 
Nos machuca em decorrência de uma atitude, seja uma escolha ou uma declaração que tenha ferido os nossos sentimentos, assim como também tenha contrariado a nossa vontade.
O ser humano naturalmente ao ser contrariado em sua vontade tende a se entristecer, pois, de fato dói ter a nossa vontade, os nossos desejos sido negados —, dói ser machucado por uma pessoa que tanto amamos. 
Geralmente a reação natural após sermos machucados por uma pessoa, é de tristeza, revolta e raiva. No entanto, por alguma operação de ordem sobrenatural. 
Ainda que entremos numa forte tristeza, ainda que choremos muito por causa da dor que sentimos, ainda assim em nosso coração persiste o Amor, o desejo do Sumo…

Deus, a Igreja, a Família e a Pátria: dos objetivos e deveres

Deus, a Igreja, a Família e a Pátria: dos objetivos e deveres.

Por: Vinicius Martinez

Esse texto é uma resposta aos muitos apostolados de Família e Matrimônio que agem em páginas e grupos que cometem erros crassos que ferem a Fé e Moral nos ensinadas pela Santa Igreja Católica Apostólica Romana, erros que rompem com a Ordem querida por Deus.

Com efeito, não posso permitir que as pessoas adiram ao erro por causa de uma boa intenção de defender a célula mãe de uma sociedade que é a Família, mas que essa boa intenção por vezes vem recheada de erros e heresias que passam despercebidos por muitos que se encantam com o belo tema que tanto amo que é a Família.

"Assim como todos os homens desejam naturalmente conhecer a verdade, também é inerente aos homens o desejo natural de evitar os erros e de refutá-los quando tiverem essa capacidade." Santo Tomás de Aquino

Deus que é Amor em sua infinita bondade e sabedoria criou todas as coisas vísiveis e invísiveis do nada. Ele é Ato Puro, ou seja, nele há a plenitude de todas as qualidades e nada lhe falta —, distribuiu então a sua Glória como que por meio de um Prisma.

Com efeito, sua Luz Infinita foi refratada e então distribuida em escalas, dando às coisas criadas, diferentes graus de perfeição, com efeito, as coisas foram feitas desigualmente ordenadas e hierarquizadas contendo nelas diferentes tipos de qualidades que Deus possui em Ato.

Tudo que há é hierarquizado, pois a Hierarquia é necessária para que se tenha Ordem; o inferior deve-se submeter ao superior.

Eis do motivo da Santíssima, a qual chamamos de Maria, ser a mais perfeita de todas as criaturas, pois ela foi quem mais recebeu a Luz Divina que concedeu à ela o máximo de qualidades que algo criado poderia ter.

Com efeito, ela é a criatura mais próxima de Deus, pois quanto maior a qualidade de algo, mais próximo de Deus esse algo está, e Maria Santíssima é quem mais obteve os graus de perfeição.

Logo se sucede que na escada das coisas, temos de seguir a seguinte ordem: Deus, Igreja, Família e Pátria. Com efeito, pode-se resumir em: Deus, Família e Pátria.

Ora, o que é mais superior? A Igreja ou a Família? Com certeza a Igreja, pois a Igreja é a Mestra da verdade e Esposa de Nosso Senhor Jesus Cristo. A Santa Igreja nos concede a Sã Doutrina e os Sacramentos que são necessários para a salvação.

A Família por si só não pode ser salva se ela não colocar a Igreja acima dela mesma. Pois a família não pode aplicar os Sacramentos em si.

Ora, colocar a Família num nível maior que a Igreja — é uma espécie de idolatria da esposa ou do marido — o que ocorre muito em nossos tempos.

A Esposa de fato conduz o Homem para Deus, pois ela é a prova vísivel de seu amor pelo Homem. No entanto, ela só é Auxiliadora do Homem e não a salvadora dele. Só podemos ser salvos por causa de Deus.

Como obtemos essa Salvação? Diz o Mestre Angélico, a saber, Santo Tomás de Aquino: "Três coisas são necessárias para a salvação do homem: saber o que deve crer, saber o que deve desejar, saber o que deve fazer".

Ora, o saber no que crer é a Fé a qual nos é dada por Deus mesmo, no entanto, só podemos saber "no que crer" mediante a Revelação que nos é dada pela Santa Igreja por via da Sã Doutrina. Em segundo, o "que esperar" que é a Esperança Sobrenatural que também nos e dada por Deus.

Em terceiro, a "Caridade" que é a forma vísivel de nossa Fé que também nos é dada por Deus, no entanto, para que cheguemos à Caridade — além obviamente da Graça de Deus, é necessário que saibamos como operar e esse saber se dá mediante ao conhecimento que obtemos pela instrução da Coluna e Sustentáculo da verdade a qual chamamos Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

Além disso, a Santa Igreja é aquela que aplica os Sacramentos que são os canais vísiveis da salvação — e que foram instituidos por Deus mesmo para que então possamos ser salvos, a saber, Batismo, Eucaristia, Confissão, Crisma, Ordem, Matrimônio e Extrema-Unção.

A qual, o Batismo, a Confissão e a Eucaristia são absolutamente necessários para sermos salvos e a Família em si não pode aplicar para si mesma esses sacramentos para obter a santificação e salvação, ora é necessário então que a Família esteja na Igreja.

Com efeito, também é por via dos Sacramentos que podemos aumentar a nossa Fé, Esperança e Caridade, e consequentemente mais próximos de Deus — podemos estar.

Ademais. — A Inteligência que coordena todas as famílias em conjunto voltadas para o Bem Comum é a Igreja que é o poder Espiritual, a qual detém o poder de instruir as inteligências, educando-as para que sejam dignas dos Céus e para que busquem o Bem Comum.

Ademais. — Assim como o Homem deve ser a cabeça e o chefe do lar —, igualmente é necessário que o conjunto das famílias que vivem em um determinado espaço, — a qual podemos chamar de sociedade ou pátria. Devem se submeter a uma cabeça para que possam atingir a excelência.

Ademais. — É na cabeça que reside a Inteligência e isso é que nos faz capazes de Contemplar a Deus mesmo que é a nossa finalidade última.

Ademais. — Por isso a Esposa e os Filhos devem-se submeter ao Homem, pois é a cabeça que guia o corpo para excelência. Eis da necessidade do Homem ser Virtuoso, pois, se não for, não poderá guiar a Família para Excelência a qual se divide em duas espécies, a saber, a excelência Transcendental (Espiritual) que é a Salvação e a excelência Imanente (Material) que é a Boa Vida.

A sociedade virtuosa é aquela a qual todas as famílias se voltam para Deus. No entanto, em nossos tempos de apostasia, as famílias e os governos já não querem mais se submeter a Deus e a Igreja. Com efeito, a iniquidade reina.

Além disso, o Santo Matrimônio é antecipação do eterno casamento com Deus, no entanto, esse casamento só é possível se o Marido e a Mulher se submeterem a algo que os levem para Deus. Ora, esse algo é o que chamamos de Igreja que por sua vez nos leva direto para Deus mesmo.

Por isso, fora da Igreja Católica não há salvação, com efeito, aplica-se também o fato de que na Família em si não há salvação, mas tem potência para ser salva, mas para que ela possa vir a ser salva é necessário que a potência se torne ato, ou seja, tornar a potência efetiva.

Com efeito, ela deve seguir a Ordem das coisas que nos foi dada por Deus —, a Igreja é uma sociedade perfeita e toda sociedade perfeita é capaz de Deus.

Além do mais, não nos esqueçamos de que a Igreja é uma instituição Humana-Divina —, o que significa que está conectada ao Reino dos Céus — e a Igreja atualmente se divide em três espécies, a saber, a militante que é onde estamos, a padecente que são aqueles que estão no Purgatório e a Triunfante que é onde está os bem-aventurados contemplando a Deus mesmo.

No entanto essas três espécies faz parte de uma só unidade a qual caminha para uma realidade futura e objetiva que será a Igreja Triunfante quando se estabelecerá definitivamente por completo no Fim dos Tempos.

Logo, a Igreja Católica Apostólica Romana está acima da Família, pois uma Família forte é aquela que se submete a Deus e a Igreja e, com efeito, podem atingir sua finalidade que é voltar para o Pai Eterno.

Da Família e a Ordem.

A finalidade do Matrimônio que é Sacramento indissolúvel onde realmente ocorre uma união efetiva entre o Homem e a Mulher que se tornam uma só carne é a Família que por sua vez deve retornar a Deus.

Com efeito, Deus deu ao Homem e a Mulher a capacidade de por meio do Ato Sexual que é a expressão do Amor entre ambos — que só é permitido dentro do Matrimônio.

Para que então tenha o cumprimento da dupla-finalidade estabelecida, a saber, a Procriativa que é gerar novas vidas e a Unitiva que é o exercício do Amor entre o casal que em outras palavras também seria o aplacamento da concupiscência, pois o Homem e a Mulher são seres sexuais.

A Mulher deve santificar o seu Marido e o mesmo também deve santificar sua Esposa. O Homem é um Motor, mas para que o Motor funcione é necessário que haja algo que o faça funcionar que neste caso é a Energia a qual chamamos Mulher.

Ambos possuem deveres conforme já dizia o Apóstolo, a saber, São Paulo: "O marido cumpra o seu dever para com a sua esposa e da mesma forma também a esposa o cumpra para com o marido".

Ora, aqui o Apóstolo se refere a dois tipos de deveres: o primeiro é o dever afetivo a qual se encaixa o Amor entre ambos —, a qual entra a necessidade da amizade, da atenção, do carinho, das relações sexuais, etc.

Em segundo, o Apóstolo se refere aos deveres de ordem de Provisão, a saber, do fato de que o Homem deve sustentar e proteger seu lar — e a Mulher vivificar e cuidar desse lar.

Ora, de nada adianta o Homem sustentar e proteger o lar, mas não dar Amor à sua Mulher e Filhos. O mesmo ocorre com a Mulher que cuida do lar —, mas não dá afeto ao Marido.

Como sempre digo: "O Amor que se vivencia no Santo Matrimônio, onde o Marido tem a certeza do Amor de sua Esposa por ele e vice-versa, é a antecâmara da visão beatífica".

Nota Adicional: Não confunda a Igreja com as decisões individuais dos clérigos que estão fora do âmbito dogmático. Não se deve se submeter a um clérigo — ainda que esteja numa posição superior em relação a nossa, se ele estiver infringindo uma Lei Divina ou Lei da Igreja.

A submissão que a Família deve ter para com os Clérigos é mediante ao exercício da repetição do Magistério Infalivelmente Decretado e Anunciado dentro das questões de Fé e Moral e no caso do Papa —, quando se anuncia obedecendo às quatros condições Vaticanas.

Com efeito, obedecer no que estiver certo, a saber, o fato de que se um Padre ou um Bispo ou até um Papa nos ensina algo correto, temos de obedecer, pois estão nos ensinando algo que nos move para Deus. No entanto, se ensinarem algo que não é —, não devemos, pois estariamos nos afastando de Deus.

O mesmo ocorre no seio familiar: a Esposa não deve obedecer a seu Marido se o mesmo lhe ordenar que faça algo que fere a Deus. Assim procede com os filhos, assim procede com a Família diante de um Governo iníquo.

No entanto, ainda que um pai ruim ordene algo de errado, ele continuará sendo marido daquela mulher e pai daqueles filhos.

Com efeito, eis da necessidade da Mulher não escolher para si, um Homem que no futuro possa lhe conduzir ao mal —, e assim também serve ao Homem que na maioria das vezes tende a ouvir mais a Mulher que a si mesmo.

Com efeito, toma decisões tolas mediante ao fato de rejeitar sua própria autoridade e responsabilidade, — assim como foi Adão que aceitou do Fruto Proibido das mãos de Eva — sem questioná-la.

Além do mais, tomemos, por exemplo, a afirmação do Filósofo, a saber, Aristóteles que dizia que a Virtude está no meio. Com efeito, dar valor mais a Igreja não significa que você deve deixar de cumprir suas obrigações enquanto Pai, Marido ou Esposa, Mãe.

Devem-se equilibrar as coisas, a tal ponto que uma não atrapalhe a outra. Conforme já dizia o Filósofo: "É ofício do sábio ordenar as coisas". Com efeito, o Homem sábio é aquele que ordena as coisas para Deus, o sábio é aquele que leva a sua Esposa e Filhos para Deus mesmo.

O Homem que ama sua Família é aquele que deseja e faz com que ela alcance o Bem Supremo que é Deus, no entanto, também deseja e faz com que ela alcance o Bem Imanente que é dar a ela e a eles uma Boa Vida que é quando se têm o conforto e a segurança.

Pois há quem dê muito mais atenção à Igreja que a própria Família e Deus não quer que você negligencie tua Família, — ele quer que você saiba dar valor aos dois, e ver nos dois a suas finalidades e especifidades.

Ou seja, seja servo da Igreja, mas também de sua Família. Tudo que fazemos tem por dever o seguir o objetivo final que é voltar todas as coisas para Deus.

"Restaurar todas as coisas em Cristo." Papa São Pio X

Glória a Deus! Ave Maria Santíssima! Salve Roma Eterna! Sagrada Família, rogai por nós! Força e Honra! Sempre Fiel! Pela Família!

Comentários

Postagens mais visitadas