Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Do mistério da vida: sofrer primeiro para ser feliz depois

Do mistério da vida: sofrer primeiro para ser feliz depois.
Por: Vinicius Martinez
“Devemos suportar tudo, porque o sofrimento é pequeno e a recompensa é grande.” Santa Catarina de Sena 
Um magnífico sinal da Graça de Deus em nossas vidas é quando uma pessoa que amamos ou que temos grande consideração por ela. 
Nos machuca em decorrência de uma atitude, seja uma escolha ou uma declaração que tenha ferido os nossos sentimentos, assim como também tenha contrariado a nossa vontade.
O ser humano naturalmente ao ser contrariado em sua vontade tende a se entristecer, pois, de fato dói ter a nossa vontade, os nossos desejos sido negados —, dói ser machucado por uma pessoa que tanto amamos. 
Geralmente a reação natural após sermos machucados por uma pessoa, é de tristeza, revolta e raiva. No entanto, por alguma operação de ordem sobrenatural. 
Ainda que entremos numa forte tristeza, ainda que choremos muito por causa da dor que sentimos, ainda assim em nosso coração persiste o Amor, o desejo do Sumo…

Carta aberta sobre o posicionamento do Padre Paulo Ricardo acerca da CNBB

Carta aberta sobre o posicionamento do Padre Paulo Ricardo acerca da CNBB.

Por: Vinicius Martinez

"Não existe pregação caritativa da Verdade sem condenação explícita dos erros e heresias." Papa São Pio X 

Quem me conhece sabe que gosto do Reverendíssimo Padre Paulo Ricardo que é para mim como que um pai espiritual. Aprendi muito com esse Sacerdote admirável. 

No entanto, essa admiração e respeito não pode me impedir de dizer que este meu pai espiritual está errado em seu posicionamento.

As pessoas devem aprender a separar as coisas, não se deve suprimir a verdade em nome de um respeito humano, em nome dos sentimentos. 

Como já dizia o Filósofo, a saber, Aristóteles: “Sócrates é meu amigo, mas eu sou mais amigo da verdade”. Com efeito, ainda que eu tenha amizade com uma pessoa e tenha sentimentos nobres por essa pessoa, isso não significa que eu devo passar a mão na cabeça dessa pessoa — quando ela estiver errada.

Ademais. — O Filósofo não sabia por falta da Revelação Divina, que toda verdade conhecida de alguma forma nos move para Deus —, a qual é a Verdade. Com efeito, aquele que ama a verdade: seja ela boa ou ruim —, tende a amar a Verdade primária a qual chamamos Deus. Mais especificamente o Verbo Eterno de Deus que é Jesus Cristo Nosso Senhor.

O Mestre Angélico, a saber, Santo Tomás de Aquino dizia: "Levar os Homens à Verdade é o maior benefício que se pode prestar aos outros". Com efeito, o Homem virtuoso leva a Verdade aos outros homens, — e essa Verdade é Deus mesmo.  

Em segundo lugar pode se qualificar quanto ao levar as verdades que nos ajudam a entender as coisas — e entendendo as coisas, podemos efetivar a nossa inteligência que nos é dada para conhecer; conforme já dizia o Filósofo em seu livro da Metafísica. 

Com efeito, é exercendo o desejo de conhecer as coisas, que preparamos o nosso Espírito ou potência Intelectual para que então possamos Contemplar a Verdade que é Deus mesmo, a qual é a nossa finalidade última. 

Ademais. — Esse conhecer não é querer experimentar o que é ruim. Pois, não nos esqueçamos de que a Inteligência e o Livre Arbítrio nos são dado para escolhermos o bem e não a fazer o mal. Fazer o bem é fazer o que Deus deseja.

Com efeito, sabemos o que é bom e ruim por via da Sã Doutrina que nos foi passada por Deus e pelos Apóstolos, a qual a Santa Igreja Católica Apostólica Romana é a Mestra da verdade. 

Eis da importância de conhecermos o que é bom e ruim, o que é certo e o que é errado. Já dizia o Nosso Senhor: "Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará". 

Aqui a verdade se divide em duas espécies, a saber, a Verdade que é o próprio Verbo de Deus e em segunda as verdades quanto à realidade das coisas. 

Fomos feitos para entender as coisas, a nossa inteligência nos foi dada para que entendamos as coisas, indo do mais simples conhecimento das coisas, até ao mais alto. 

Para que então em determinado momento de nossas vidas, possamos então obter a Graça —, o presente de Deus que é poder contemplá-lo para sempre. 

Cessando por completo todo o nosso desejo infinito de ter e compreender as coisas que só pode ser saciado por algo que é infinito e esse Infinito é Deus mesmo.

Ademais. — Essa busca do conhecimento e desejo de contemplação, não se deve jamais ser confundida com o desejo de conhecer dos adeptos da Gnose. Não é conhecendo as coisas por si mesmas que somos capazes de atingir a Deus. 

Só podemos alcançar a Deus, mediante a Fé que é saber no que acreditar; a Esperança que é saber esperar o que nos foi prometido; e a Caridade que a forma visível da Fé — onde exercitamos o que nós acreditamos mediante a Graça que impulsiona a nossa vontade que por sua vez faz com que a nossa Inteligência mediante a autoridade Divina, possamos então — aderir a Deus. 

Ademais. — Com efeito, a salvação só é dada pelos méritos de Deus, e não pela busca individual de verdades. É necessário estar na Igreja, e aceitar todos os Dogmas, e participar dos Santos Sacramentos que são canais da salvação.

Mas terminando essa parte de filosofia e teologia. Entremos na questão propriamente dita, mostrando do motivo de eu estar diametralmente contrário ao posicionamento do Padre.

O Reverendíssimo Padre Paulo Ricardo em seu vídeo, primeiramente revela que preferiria ter ficado calado o que já demonstra que ele não queria estar se posicionando quanto a um erro tão evidente. 

A qual nenhum olho pode negar que seja verdade que a CNBB é palco de heresias, hipocrisias, blasfêmias e sacrilégios e apostasia.

Segundo: diz o Padre que ele é um “simples presbítero”. Ora Padre Paulo Ricardo, não és tão simples assim, é um Homem que tem responsabilidade por milhares de almas, e que tem influência no pensamento de todas essas pessoas. 

Com efeito, suas posições hoje são vistas inclusive como posições magisteriais e dogmáticas a qual não é difícil ver por aí: “Mas o Padre Paulo Ricardo falou e recomendou, logo sigo e faço o que ele disse”. 

O que demonstra que o Sr não é tão simples assim como um Padre que mora em uma cidade pequena que só é conhecido pelos seus paroquianos. 

Em verdade, és uma pessoa que tem poder sim, e que tem importância e toda posição tomada pelo Sr tem consequências.

Terceiro: ele coloca a Igreja como se ela fosse parte desse núcleo chamado CNBB, o que é um erro. A CNBB é composta por membros da Igreja, mas ela em si não é a Igreja. Com efeito, toda crítica hoje dada a CNBB mediante a essa crise, não é para a Igreja, mas apenas dirigida para a CNBB que não é órgão oficial da Igreja.

Quarto: diz o Padre que temos de ter respeito aos “legítimos pastores”. Ora, esses tais "legítimos pastores" são os mesmos que há anos colocam heresias em seus documentos e campanhas pífias. 

São os mesmos que colocam o povo a mercê de lobos devoradores, não querendo instruir a Sã Doutrina, não querendo condenar todos os erros, heresias, vícios e pecados. 

Ter respeito por esses ditos “pastores” é na verdade compactuar com o erro deles, — que não respeitam a si mesmos — tendo em vista que cospem na dignidade de sucessores dos Apóstolos. 

Eu não vou respeitar de jeito nenhum, uma pessoa que cospe em meu Deus e em minha Santíssima Mãe e em minha Santa Igreja. 

Quinto: diz o Padre da importância do diálogo e da reciprocidade de ambos lados. Ora, como vamos esperar diálogo com um órgão que desde sua origem só vem promovendo a revolução na Igreja a qual o Sr sempre combateu desde que iniciou vosso apostolado? 

Acaso não sabes a origem da CNBB? De seus fundadores e suas mentalidades? A CNBB é substancialmente errada desde sempre.

Além disso, também afirma que ambas as partes devem ter benevolência. Ora, por parte dos defensores da Santa Igreja, há benevolência, mas não encontramos por parte da CNBB que só trabalha para desviar o povo do que é essencial. 

A saber a busca pela santidade verdadeira e não essa falsa santidade de nossos tempos —, a busca pelo bem comum e não na linguagem falsa, politizada e hipócrita dessa organização. 

Com efeito, a CNBB não quer benevolência e bem comum coisa alguma, se assim quisessem, todos os inúmeros “legítimos pastores” seriam vozes ativas durante todas essas décadas, mas vemos que não foram e sim apoiadores do erro e omissos quanto ao mal e isso vindo por parte daqueles que deveriam nos conduzir para Deus.

Sexto: ele exorta a carta de sua Excelência Dom Rifan que no passado fora um defensor nato da Santa Tradição, mas que hoje trágicamente se conforma com o mundo, adotando coisas que desagradam a Deus, a saber, defendendo o que mais se conformou com o mundo que é o Concílio Vaticano ll e seu maior produto que é a Missa Nova. 

Diz o Padre que essa carta é majestosa, em contrário digo que essa carta é diplomática e não no sentido bom, mas no sentido de querer justificar o injustificável. 

Além disso, na carta de Dom Rifan: ele coloca o caráter de importância das Conferências Episcopais. Ora, Dom Rifan, a CNBB não é importante coisa alguma, — tudo que esse órgão faz é desrespeitar o que a Igreja decretou infalivelmente. 

A CNBB ouviu o que o Papa João Paulo ll pediu? Ouviu o que o Doutor Sensato, a saber, Papa Bento XVI pediu?  Acaso obedeceram ao que esse Magno Papa que foi o único Papa pós conciliar até então que teve alguma postura efetiva diante de erros do Vaticano ll?

Quem a CNBB ouvia e ouve? A si mesmo ou a Roma? É claro que a CNBB se acha mais no direito de se autogovernar que ouvir o que Roma pede.

Além disso, as ditas conferências episcopais que existem em nossos tempos, são expressão pura e simples do que chamamos da herética proposta da Colegialidade dada no Concílio Vaticano ll, a qual miseravelmente visa a destruição da Monarquia, da Hierarquia — minando o poder do Papa e dos Bispos individualmente em suas Dioceses.

Além disso, ele comenta sobre a demonização das conferências episcopais. Ora, Dom Rifan, se a CNBB estivesse realmente ao serviço da Realeza Social de Nosso Senhor, eu jamais a criticaria, mas a realidade é que a CNBB não está nem aí para o Nosso Senhor. 

Com efeito, pedir que um órgão que desde sua origem só vem promovendo um falso evangelho —, uma falsa doutrina possa refletir sobre suas posições é um tanto demasiadamente ingênuo — senão estúpido. É como que pedir ao PCC que reveja seus conceitos sobre criminalidade. 

Ademais. — Comparando o PCC com a CNBB, é muito mais grave o que os falsificadores da Sã Doutrina fazem, pois atingem a infinita majestade de Deus, ao invés do PCC que atinge apenas a ordem temporal. 

Sétimo: de fato o Sr enquanto Padre, não pode fazer muito quanto à resolução desses problemas, no entanto, como Padre tens o dever de defender a Verdade e guiar o teu rebanho para Deus. 

Com efeito, ainda que não sejas capaz de resolver os problemas, o que não irá mesmo, pois só o Alto Clero pode resolver. Mas, ainda assim é necessário que se condene os erros, as heresias, as hipocrisias e blasfêmias e fazendo isso, já estará fazendo o teu serviço —, ao invés de querer reduzir seu poder. 

Oitavo: diz o Padre que não devemos alimentar essa dolorosa crise, e que temos de adotar um silêncio quaresmal, para que então os “Legítimos Pastores” possam resolver os problemas. 

Mas em contrário diz o Apóstolo, a saber, São Paulo: "Não tenhais cumplicidade nas obras infrutíferas das trevas; pelo contrário, condenai-as abertamente". 

Com efeito, o silêncio diante de obras malignas que é o caso das CEBs, onde crucificaram o Nosso Senhor por quadrilhões de vezes é compactuar com tamanha blasfêmia, heresia e sacrilégio. 

Assim como também diz o mesmo: "O fruto da luz é bondade, justiça e verdade”. Ora, acaso estarás sendo bondoso por suprimir a verdade? Acaso estarás fazendo justiça ao calar-te diante do mal? Acaso estarás em verdade negando ela?

Ademais. — Diz o Mestre Angélico: “Pois é muito mais grave corromper a fé, da qual vem à vida da alma, que falsificar dinheiro, pelo qual a vida temporal é sustentada”. 

Ora, o que fizeram é corrupção da Fé, o crime que fizeram é gravíssimo e é necessário que o crime seja condenado abertamente, e não fazer um silêncio covarde em nome de um falso respeito às autoridades.

Ademais. — Dar tempo aos inimigos de Deus, é ajudá-los na derrocada do Reino Social de Nosso Senhor Jesus Cristo — é permitir que o mal se prolifere ainda mais.

Nono: diz o Padre que temos de fazer penitência e rezar. Ora, com certeza temos de fazer isso, mas rezar e fazer penitência não resolverá o problema, é necessário que as pessoas saibam qual é a causa desses males, e vou dizer a ti Padre.

É o Concílio Vaticano ll a qual o Sr defende por via da "Hermenêutica da Continuidade" que é a causa dessa problemática moderna inteira — envolvendo as conferências episcopais, — e toda essa apostasia que vivenciamos atualmente.

Além disso, diz o Padre que temos de fazer isso para que compensemos a nossa falta de Caridade. Ora, que é a Caridade? Ela é uma Virtude Teologal, é a expressão de nossa Fé. 

Com efeito, temos amor pelo que acreditamos e se nosso Senhor que é aquele que nos alimenta com a Fé ser desrespeitado por alguém, vamos defendê-lo com nossas vidas se necessário. 

Ora, é falta de Caridade não lutar contra os males, pois estaríamos compactuando com aqueles que ferem o Senhor. Não existe Amor sem verdade, não existe amor sem justiça.

Ademais. — Seria falta de caridade não dizermos que tais Bispos estão cometendo erros e heresias, pois os mesmos caminham para o Inferno e levam consigo multidões. O Amor pelo próximo é desejar que ele vá para os Céus, com efeito, temos de ensinar o bem e condenar o mal.

Décimo: diz o Padre que temos de rezar para que os Bispos sejam iluminados por Deus para que então possam sair dos erros. 

Ora, mas o Sr disse que temos de nos calar meu caro Padre. Como os Bispos vão saber que estão no erro se não existir alguém que os avise do erro? Acaso descerá um Anjo dos Céus para dizer: "Bispo, você está errado"? Com certeza não.

Ademais. — Um corpo em movimento tende a ficar em movimento. No entanto, este movimento pode ser anulado se uma força agir. Pois o movimento contínuo ocorre mediante a ausência de uma força.

Ora, o mesmo ocorre se uma pessoa está em erro, ela tende a ficar em erro. No entanto este erro pode ser anulado se surgir algo que o cancele, a saber, a ação de uma pessoa que demonstre que ela está errada.

Com efeito, o estado de erro é anulado mediante a ação de uma força externa que neste caso é a outra pessoa que alertou do erro.

Se rezar pelo Clero bastasse, nunca teriam existido hereges, mas como bem sabemos, os maiores hereges de todos os tempos eram clérigos. A verdade só é conhecida quando anunciada. E na ausência de uma autoridade que diga a verdade, cabe aos subalternos por estado de necessidade, corrigir seus superiores, mostrando-lhes a verdade.

Além disso, afirma o Mestre Angélico: “Na defesa da Fé, um leigo tem como que a mesma autoridade de um Papa”. Ora, eu não quero ser clérigo e tampouco os leigos desejam usurpar a cadeira de um Bispo. No entanto, estamos defendendo a nossa Fé e temos autoridade para isso.

Além do mais, é verdade que no meio dessa polêmica toda, há quem esteja a serviço de uma ideologia, querendo judicializar tudo e achando que a Igreja é uma democracia e que desejam instrumentalizar a Igreja para fins políticos, nesse caso, tais vigaristas também devem ser esmagados com a fina verdade.

Finalizo — A posição de meu querido Padre Paulo Ricardo é lamentável. Não reconheço o Homem que me ensinou o lema: “Nada dar mais valor que a Cristo”. Pergunto-me onde está o Homem que fez vídeos dizendo que falta coragem aos homens de nossos tempos. 

O Homem que diz que o pacifismo é diabólico, que o respeito humano é perigoso, que ensina que um pai deve-se sacrificar por sua família — perdendo até a própria dignidade e vida se necessário. 

Mas, pelo visto ele está com medo de perder sua batina por enfrentar esses lobos devoradores, infelizmente Reverendíssimo Padre Paulo Ricardo, o Sr está confundindo prudência e sensatez com covardia! 

Nesse caso caríssimo Padre Paulo Ricardo, eu não poderia ficar calado diante de uma posição tão errônea. No entanto, ainda continuo seguindo o que me ensinastes que é dar a minha vida por Deus e pela Santa Igreja.

"Restaurar todas as coisas em Cristo." Papa São Pio X

"Era realmente necessário que houvesse heresias, a fim de que os firmes na fé se distinguissem dos fracos."Santo Agostinho

Rezemos e jejuemos pela santificação do Clero, do Papa, dos Cardeais, dos Bispos, dos Padres, dos Diáconos, dos Religiosos e Leigos do mundo inteiro. 

Assim como também rezemos para que os hereges e cismáticos voltem à Santa Igreja. Rezemos pelos pecadores, para que se convertam, enquanto há tempo. 

Assim como trabalhemos e peçamos a Graça para que sejamos efetivamente santificados, e peçamos a piedade de Nosso Senhor, por sermos tão cruéis com o seu Sacratíssimo Coração. 

Que a Santíssima Mãe de Deus nos ampare e nos ajude nesses tempos sombrios, e tenhamos o apoio dos bem aventurados Apóstolos Pedro e Paulo e todos os santos que não cessam de interceder por nós. 

Toda Honra e Toda Glória ao Nosso Senhor e a Nossa Senhora!

Glória a Deus! Ave Maria Santíssima! Salve Roma Eterna! Força e Honra! Sempre Fiel! Santa Francisca Romana, rogai por nós!

Comentários

Postagens mais visitadas