Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Da formação e desenvolvimento do Homem, a crise da virilidade de nossos tempos e outros assuntos

Da formação e desenvolvimento do Homem, a crise da virilidade de nossos tempos e outros assuntos. Por: Vinicius Martinez
Introdução.

Se podemos dizer que há um período na História Humana onde o Homem deixou de entender a si mesmo, esse período é o nosso. Vivemos num mundo desenvolvido tecnologicamente, mas precariamente os homens que participam desses tempos, não acompanharam o avanço das técnicas que por eles mesmos foram desenvolvidas.

É fato que vivemos numa sociedade apóstata que abandonou a Verdade e que se rendeu ao Liberalismo em todos os seus aspectos, o que por sua vez deu forças ao modernismo na religiosidade, assim como pavimentou a civilização ocidental para experimentar as tenebrosas revoluções sangrentas do século XX.

Por sua vez, nessa breve introdução, cito que o triunfo da tão má compreendida ideologia feminista, que embora muitos falem dela, não sabem que a mesma não é só uma simples demência do que chamamos de "Mundo Moderno".

Parafraseando a afirmação do Dou…

O Problema moral no cinema e no teatro: uma necessária análise a respeito deste problema ignorado.

O Problema moral no cinema e no teatro: uma necessária análise a respeito deste problema ignorado.

Por: Vinicius Martinez

Atuar é por vezes um meio de garantir a inimizade de Deus. Em nome da atuação em filmes, séries, novelas, pessoas cometem diversos pecados sem ciência alguma de que tais atos são ilícitos. É o caso, por exemplo, de homens e mulheres que se beijam, se esfregam, se pegam e o diabo a quatro -- é o famoso "beijo técnico" -- umas da maiores safadezas já inventadas, veja-se que há muitos homens e mulheres que já possuem relacionamentos estabelecidos, mas em nome de suas profissões, fazem coisas "falsas" é apenas teatro certo?

Obviamente que não se justifica uma ação má com boa intenção, por mais boa que a intenção seja de atores e atrizes de fazer algum filme ou série, por mais que os atores envolvidos, saibam que aquilo é "mero teatro" e que não é nada sério, a verdade é que é errado beijar ou se esfregar com outras pessoas, por mais que seja uma simples atuação.

Alguns hão de dizer que o que digo é mero puritanismo, na verdade não é puritanismo, é apenas bom senso, ademais, é possível fazer filmes, séries e coisas do gênero, sem envolver beijos ou "esfrega-esfregas" --, mas mesmo assim, criou-se na mentalidade popular, que a atuação, o teatro, o cinema, tudo que é feito pelos atores não possui efeitos concretos na realidade, criou-se na mentalidade popular que nada que é feito ali é verdadeiro e nada possui significado, ou seja, por mais errado que algo seja demonstrado nessas fontes, tudo pode ser justificado em nome de "atuação".

Um cidadão cristão casado, por exemplo, pode aceitar o papel de ser um cafajeste que no filme pode beijar diversas mulheres, assim como uma mulher cristã casada, faz o papel de uma mulher que se envolve com outro homem que na mentalidade do "é só atuação" -- nada daquilo significa, nada daquilo possui efeitos, nada daquilo ofende a Deus. Mas a grande verdade que muitos não querem aceitar, é que sim, até mesmo em um mero "teatro" estamos debaixo da lei de Deus e, portanto sobre o juízo do mesmo, é evidente que as pessoas não querem aceitar algo assim, mas ignorar tal verdade, não modifica a estrutura da realidade.

Ademais. -- Uma das maiores aberrações é ver uma esposa, um esposo, um namorado ou uma namorada, se pegando ou se beijando com outro -- em nome da profissão de ator/atriz, e mais bizarramente, tem casais que aceitam essa realidade tranquilamente, se isso não é degeneração do bom senso -- do certo e do errado -- realmente não sei o que é, mas é óbvio que tal expressão só pode ser classificada como gozação satânica, como consequência dos efeitos do pecado original -- onde se criou anomalias espirituais, psíquicas e da carne.

Ademais. -- Imagine um filho ou uma filha, sabendo que sua mãe ou seu pai, em nome de suas profissões, beijaram -- se esfregaram -- e fizeram de tudo com outras pessoas que não sejam seus próprios pais? Mas que escândalo aos pequenos intelectos que hão de crescer vendo estes horrores.

Ademais. -- O cinema e teatro e tudo que envolve atuações humanas, por mais que estejam retratando uma situação não real em concreto, não faz com que os participantes sejam desconectados da realidade concreta -- que por sua vez possui suas leis naturais, as leis de Deus, todos estão sob essa Lei e nessa lei, essas coisas citadas a respeito do envolvimento amoroso fictício com outras pessoas -- já sendo comprometido é completamente errado, por mais falso que seja.

Finalizo -- Concluo que se uma pessoa quer ser ator ou atriz, pode até ser, mas saiba muito bem no que você vai participar, pois, não vá pensando que o mundo da atuação te livra dos juízos que todos nós temos de passar. Tudo que fazemos tem consequências: seja boas ou más, tudo o que fazemos, ecoa pela eternidade. E cabe a nós, escolhermos sempre o bem, e o bem é o que Deus deseja, pois uma coisa é participar de um filme representando por exemplo: A Paixão de Cristo, outra é participar de filmes com as temáticas mais sujas possíveis e não só a temática, mas como o que este filme com a temática suja, exige dos seus participantes, eis um sério problema moral que muitos atores e atriz e pessoas jamais hão de fazer.

Comentários

Postagens mais visitadas